Como a gestão de processos produtivos auxilia na redução de custos?

As indústrias brasileiras têm dificuldades de produção relacionadas ao “custo Brasil”.

Um item confeccionado no país é 30% mais caro do que o mesmo produto nos Estados Unidos ou na Alemanha, por exemplo.

Esse estudo, realizado pela Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq), mostra a grande dificuldade de competição igualitária que as empresas brasileiras enfrentam nos mercados.

Por isso, para se manterem competitivas, as companhias devem investir na gestão de processos produtivos.

A prática auxilia na redução de custos, sem a perda de qualidade, e na otimização do tempo e da produtividade da equipe.

Desse modo, o negócio fica menos suscetível aos prejuízos causados pela variação cambial, pelos impostos e pelas altas taxas de juros.

Se quiser entender como deixar a sua organização mais competitiva, é só continuar a leitura!

O que são processos produtivos?

Eles envolvem as atividades das empresas realizadas em uma sequência lógica de etapas na cadeia produtiva, com o intuito de gerar valor para a mercadoria, e estão relacionados à capacidade de entrada (input) e saída (output) de produtos de um negócio.

Para que a produção tenha um custo reduzido, sem perder a qualidade, é necessário que todas as áreas estejam alinhadas, a fim de reduzir os gargalos nos processos.

Por exemplo: uma indústria automotiva produz 1.000 veículos por hora. Depois de prontas, as carrocerias seguem para a etapa de pintura, por exemplo.

O problema é que, nesse estágio, só é possível realizar o processo em 800 peças por hora.

Ou seja, existe um empecilho no processo produtivo que deve ser corrigido, com o intuito de proporcionar o atendimento da capacidade total da companhia.

Qual é o impacto da padronização dos processos produtivos?

A gestão da cadeia produtiva tem como objetivo alinhar as etapas industriais na companhia.

Para tanto, como dissemos, é necessário definir, analisar e acompanhar as atividades, para identificar os gargalos e maximizar a capacidade produtiva.

Esse mapeamento auxilia o gestor a planejar as demandas do negócio, definir as responsabilidades de cada profissional e usar os recursos de forma consciente.

A padronização, então, contribui para integrar as atividades realizadas pelas equipes de diferentes setores, com o propósito de aumentar o potencial competitivo da empresa.

Essa análise contínua também favorece a adoção de mudanças estratégicas para acompanhar as tendências de mercado e aproveitar as oportunidades disponíveis.

Além disso, a padronização auxilia a companhia a atender melhor às necessidades do cliente, aprimorar a qualidade dos seus produtos e reduzir os erros causados pela deficiência das informações.

Resumindo, a padronização de processos permite:

  • aprimorar o ciclo produtivo;
  • ampliar a eficiência;
  • aperfeiçoar a qualidade dos produtos;
  • aumentar a satisfação dos consumidores;
  • diminuir os custos de produção;
  • ampliar a competitividade.

Como conquistar uma gestão eficiente dos processos?

O gestor pode adotar algumas metodologias para aprimorar a gestão da cadeia produtiva. Confira:

Mapeamento das etapas

O gestor precisa identificar todas as etapas de produção, os profissionais responsáveis por elas e o desempenho de cada estágio. Com essas informações devidamente registradas, deve-se partir para o próximo passo.

Identificação dos gargalos

É essencial visualizar os gargalos críticos que prejudicam a capacidade produtiva.

O gestor pode utilizar o diagrama de Ishikawa (espinha de peixe) para visualizar melhor a situação. Ele se baseia na identificação dos seguintes fatores:

  • mão de obra;
  • método de produção;
  • métricas e indicadores;
  • máquinas e tecnologias;
  • ambiente de trabalho;
  • matéria-prima utilizada.

Se o principal gargalo for a perda de tempo na produção, por exemplo, a causa pode ser oriunda de profissionais desqualificados ou de máquinas obsoletas.

Sendo assim, é necessário dialogar com a equipe para perceber os problemas e gerar melhorias no processo.

Construção de um plano de ação

Após diagnosticar os gargalos do processo de produção, é necessário criar um planejamento para todas as áreas. Nele, devem ser identificados os responsáveis por colocar o plano em prática.

O gestor pode utilizar a ferramenta 5W2H, um método de análise que funciona como um checklist das atividades que devem ser realizadas.

O documento precisa ser claro e objetivo, para facilitar a compreensão de todos os profissionais. Ele tem a proposta de identificar as seguintes questões:

  • o que será feito;
  • por que será realizado;
  • onde;
  • quando;
  • por quem será executado;
  • como será desenvolvido;
  • quanto custará para a empresa.

Assim, o líder define os prazos e as metas para cada setor, o que permitirá uma análise detalhada no futuro.

Acompanhamento das métricas de resultados

O plano também deve definir as métricas que serão avaliadas para identificar os resultados obtidos. Ele deve instituir os indicadores-chave de desempenho do processo, que podem envolver aspectos como:

  • índice de avarias;
  • custo de produção;
  • nível de produtividade;
  • satisfação dos consumidores;
  • índice de correções operacionais.

Como obter a redução de custos e o aumento da produtividade?

Em primeiro lugar, é importante compreender os principais fatores que geram o “custo Brasil”, do qual falamos no início do artigo.

Ele envolve valores gastos em despesas de produção, impactos oriundos da legislação trabalhista, burocracia, altas cargas tributárias, ausência de infraestrutura adequada para transportar os produtos e altas taxas de juros.

É crucial que o gestor invista em iniciativas para enfrentar esses desafios da melhor maneira, a fim de ganhar uma vantagem competitiva no mercado.

A automatização de processos produtivos e a tecnologia têm esse potencial de ampliar a capacidade de fabricação, sem necessariamente gerar um aumento da infraestrutura ou dos custos de atividade.

Isso só é possível quando o administrador investe em um software que pode promover uma verdadeira integração dos processos e a automação das demandas.

Ele também permite a geração de dados relevantes para o gestor, para que ele possa acompanhar toda a cadeia produtiva.

A personalização dos processos produtivos como parte da indústria 4.0

A tecnologia é uma importante aliada das empresas que buscam a otimização dos processos de produção.

A indústria 4.0 é um processo que pode ser iniciado aos poucos, ou seja, qualquer empresa pode começar essa jornada sem necessariamente investir muito capital para isso.

Portanto, é importante buscar um software que atenda às inúmeras necessidades de uma fábrica, como um ERP que permita o cálculo do MRP, o controle da produção e, também, o acompanhamento e o relacionamento com clientes por meio do CRM.

Dessa maneira, o gestor tem uma visibilidade real da sua produção e consegue ser mais responsivo, caso precise executar alguma mudança com o intuito de solucionar uma questão específica de seus clientes.

Esse modelo de tecnologia melhora a produtividade da empresa, integra as equipes, facilita o acompanhamento de resultados, aumenta a satisfação dos clientes e agrega valor ao produto final.

Ao vincular os sistemas, também é possível suportar novos recursos e obter dados sobre a demanda e a capacidade de atender ao cronograma preestabelecido.

Enfim, a gestão eficaz de processos produtivos auxilia o líder a ampliar a eficiência da indústria e a conhecer todas as etapas desenvolvidas na companhia.

O uso de tecnologia ainda favorece o monitoramento dos dados sobre os resultados do negócio.

Este artigo trouxe informações úteis para você? Deixe um comentário e compartilhe a sua opinião conosco!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *