Você sabe como administrar seus investimentos?

Nos últimos 10 anos, com a ascensão econômica da população, muitos investidores procuraram nos fundos de investimento uma forma de aplicar seu patrimônio, principalmente por causa do detrimento de aplicações na poupança. Enquanto o patrimônio dos fundos de investimento apresentou, no período de 2005 à 2015, um crescimento de 305%, a poupança teve um aumento em seu saldo de 276%. Considerando os últimos 15 anos a diferença na evolução dos dois segmentos é significativa, com a evolução do patrimônio dos fundos sendo de 908% e a poupança ficando com 457%. As informações foram retirados da divulgação da ANBIMA (Associação Brasileira das Entidades do Mercado Financeiro e de Capitais), do patrimônio total dos fundos, o qual em dezembro de 2015, atingiu de R$ 2,9 trilhões, representando 49% do PIB.

Apesar dos dados acima, o mercado de investimentos no Brasil passou por um cenário desafiador no último ano por conta da situação econômica e política atual. A perda do grau de investimento em setembro de 2015, pela agência de rating Standard & Poors, acabou que afastando os investidores de longo prazo dos fundos de pensão internacionais, pois muitos seguem a regra de apenas investirem em títulos de países que apresentam esta classificação.

A retração da economia em função da indefinição do quadro político, impediu a execução de medidas de redução do déficit fiscal, afastando a possibilidade do governo realizar investimentos na economia, sendo este mais um fator recessivo. Este conjunto de fatores criaram uma perspectiva negativa representada pelo aumento da volatilidade nos preços de ações, dólar e no nível de taxas de juros, o que afastou o investidor pessoa física da bolsa. A participação deste tipo de investidor no volume da Bolsa em 2015 ficou em apenas 13,7 %, sendo o menor nível anual desde 1998, quando foi de 12,3%. Um outro efeito foi a queda do volume financeiro da BOVESPA de 7%, o qual ficou em 2015 em R$ 1,67 trilhões ante R$ 1,80 trilhão em 2014.

O cenário provocou uma aversão ao risco de investimentos, o que somado ao aumento dos juros, consequência da inflação, incentivou a compra de títulos públicos. Dessa forma os fundos de investimento apresentaram uma captação líquida (resgates-aplicações) de 500 milhões diante dos R$ 1,7 bilhões do ano anterior, representando uma queda de 71%

Para minimizar os riscos,  e continuar investindo, esse é o momento de procurar uma instituição financeira especializada no mercado de capitais que possa desenvolver uma consultoria especializada para a realidade e o perfil do investidor.

O mercado financeiro disponibiliza vários tipos de aplicações, seja para o investidor individual com investimento em um ativo ou conjunto de ativos (carteiras private) ou um conjunto de investidores (fundos e clubes de investimento), que investem em uma variada cesta de ativos e em diferentes mercados, tanto on-shore quanto off-shore. A cesta de ativos tem o objetivo de adequar o nível de risco e rentabilidade ao perfil do investidor, o qual pode ter um perfil agressivo ou conservador.

As instituições financeiras que gerem ou administram fundos, clubes de investimento, carteiras administradas, carteiras de fundações ou seguradoras, fundos de pensão, entre outros, se preocupam com a segurança das informações, a confiabilidade dos dados, enquadramento legais e a liquidação física e financeira dos ativos e dos resgates dos cotistas. Estes veículos de investimentos em sua maioria exigem o cálculo diário do patrimônio e/ou valor da cota, permitindo aplicações e resgate diários, dessa forma envolvem um processo crítico que não pode ter interrupção por mais de 24 horas.

Assim, o grande desafio das instituições é otimizar ao máximo todos os processos de gestão e administração interno, maximizando a performance do gestor/administrador e o retorno dos investidores. Além disso, é necessário estar atento às regras de mercado, a regulamentação da CVM quanto ao enquadramento dos tipos de ativos alocados no fundo e a contabilização e regra de tributação da Receita Federal.

Para facilitar o dia a dia das instituições de investimentos a TOTVS possui o AMPLIS. Solução completa para fundo de investimentos, desenvolvida em Java, permite o acesso por meio de navegador web, tablets e smartphones. Com interface flexível se adapta ao meio de acesso do usuário (interface responsiva), sendo intuitiva, ágil e dinâmica.

Sua abrangência envolve a gestão de carteiras e fundos, precificação, mensageria, conciliação dos ativos com a clearing, compliance, geração do balanço contábil e de informes legais. Sempre acompanhando a legislação vigente e as atualizações de mercado. Dois mecanismos também presentes no AMPLIS são Chinese wall e gestão de perfis de acesso as funcionalidades do sistema.

A solução está disponível em duas versões, uma para pequenas instituições sem necessidade de servidor de banco de dados no cliente (processamento na nuvem) e outra que atende as grandes instituições financeiras.

Quer saber mais? Acesse TOTVS.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *