Gestão da Permanência – Utilizando o questionário socioeconômico para análises de retenção e prevenção a evasão de calouros

Neste artigo, complementar ao assunto Gestão da Permanência, apresentamos como os processos vinculados ao questionário socioeconômico podem gerar indicadores e subsídios para que a equipe de retenção realize trabalho preventivo quanto às saídas dos calouros.

É possível antecipar quais calouros podem vir a evadir da instituição?
Com esta informação, podemos realizar preventivamente um trabalho para sua continuidade?

Conforme descrito nos artigos anteriores, que tratam da gestão da permanência e controle de evasão, é possível monitorar o comportamento dos alunos e criar mecanismos que procurem evitar que estes alunos deixem a instituição. Estes comportamentos são, em linhas gerais, acadêmicos (notas, faltas, etc.), financeiros (atrasos, inadimplência, etc.) ou comportamentais.

Mas, e a perda de alunos que deixam a instituição logo no início do período (calouros)?

Normalmente os alunos que se evadem, em média 48% no ciclo total dos cursos segundo estudos de mercado da Hoper (2014), somente no primeiro ciclo (semestre ou ano do curso), temos uma evasão prevista de 25%, ou seja, um entre quatro alunos irá abandonar o curso antes do final do primeiro ciclo.

E nestes casos, muitas vezes não é possível contar com as “pistas” da evasão conforme descrito anteriormente, já que notas ainda não foram fechadas, o controle de inadimplência não foi fechado e etc. É aí que entra a estratégia de análise do questionário socioeconômico aplicado na entrada do candidato em busca de pistas de prováveis calouros que podem vir a se evadir no início do ciclo.

O questionário sócio econômico pode ser definido como uma pesquisa, com um conjunto de questões que, dentro da estratégia da área de análise sócio pedagógica e econômica da instituição, em conjunto com as diretrizes estratégias e de posicionamento institucional, deem subsídios para que um possível aluno ou candidato tenha um perfil construído e a partir deste, uma classificação de risco.
Como exemplo, o TOTVS Processo Seletivo permite que um candidato responda ao questionário criado pela equipe de seleção, podendo até mesmo variar de questionário por processos:

permanecia01

Com o conjunto de respostas e até durante o calendário de inscrições, pode-se obter pistas e determinar quais candidatos possuem mais riscos de se evadir no primeiro ciclo, exemplificando:
Distância: Este é um dos fatores que costumam identificar possíveis candidatos que terão, pelo tempo ou custo de deslocamento, mais chances de evasão no curto prazo (candidatos com maior deslocamento):

permanencia02

Renda Familiar e Trabalho: Potencializa a descoberta de possíveis calouros que são responsáveis ou que colaboram no sustento da família:

permanencia03

permanencia04

Portanto, podem-se criar ferramentas de análise que, por candidato, possibilitem o ranqueamento dos candidatos quanto à possibilidade de evasão, sempre dentro dos estudos e políticas definidos pela estratégia da instituição.

Este ranking ou avaliação não significa necessariamente que o aluno se evadirá e sim que a instituição, até como papel do escritório de retenção, deve promover ações de acompanhamento deste aluno, prevenindo e reduzindo grandemente o volume de perda dos alunos no primeiro ciclo.

permanencia05

O acompanhamento permite até mesmo estabelecer indicadores diferentes por área ofertada:

permanencia06

O acompanhamento pode ser realizado pela área psicopedagógica com intuito de promover ações de orientação de curso, nivelamento, oferta de benefícios, tutorias e premiações, entre outros.

Para saber mais:

TOTVS Processo Seletivo
TOTVS Educacional
How To Educacional
Consulte seu canal de atendimento TOTVS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *